sexta-feira, 8 de abril de 2011

Conversa jogada ao vento.

Vida querida, eu te peço;
Passe enquanto há tempo;
A dor esta me tomando;
O sentindo esta se esvairando,

Vida, eu te imploro;
Saia de teu repouso;
Vamos alçar voô;
Para nunca mais sofrer por outro;

Vida, eu te obrigo;
Seja breve quanto ao final;
Estou esperando pelo melhor;
Porém estou ciente do pior;

Vida, eu te condeno;
Te rogo aqui, minha praga;
Irás provar da minha ira, por ter ignorado minhas súplicas;
Terás um fim trágico;
Serás esquecida por quem amas.

Um comentário: